Design

Design

 

Design é um esforço criativo relacionado à configuração, concepção, elaboração e especificação de um artefato. Esse esforço normalmente é orientado por uma intenção ou objetivo, ou para a solução de um problema.

 

Exemplos de coisas que se podem projetar incluem muitos tipos de objetos, como utensílios domésticos, vestimentas, máquinas, ambientes, e também imagens, como em peças gráficas, famílias de letras, livros, e (recentemente) interfaces de programas.

Design é também a profissão que projeta os artefatos. Existem diversas especializações, de acordo com o tipo de coisa a projetar. Atualmente as mais comuns são o design de produto, design gráfico, design de moda e o design de interiores. O profissional que trabalha na área de design é chamado de designer.

Finalmente, o design pode ser também uma qualidade daquilo que foi projetado.

O termo deriva, originalmente, de designare, palavra em latim, sendo mais tarde adaptado para o inglês design. Houve uma série de tentativas de tradução do termo, mas os possíveis nomes como projética industrial que acabaram em desuso.

Design como profissão

Conquanto qualquer um possa projetar (a própria letra de mão de uma pessoa já é uma forma de expressão gráfica, por exemplo) o trabalho de profissionais especializados comumente apresenta grandes benefícios para o cliente, desde maior agilidade e prevenção de erros até um aprofundamento da concepção em si, que geralmente seria impossível para um leigo.

Algumas grandes empresas possuem departamentos próprios de design. Existem também uma grande quantidade de escritórios de design que prestam serviços à varejo.

Na posição de consultor externo, é importante para o designer compreender a realidade da empresa e quais objetivos ela almeja obter com o projeto. Para isso é utilizado normalmente o briefing. A partir disso o designer desenvolve o projeto, apresentando tantas vezes quanto necessárias estágios intermediários do desenvolvimento. Finalmente, a versão final é apresentada e aprovada pelo cliente — algumas vezes mais de uma opção dentre as quais o cliente escolhe, mas essa forma de trabalho não é muito bem vista. Depois o designer pode (a depender do contrato) ainda acompanhar o processo de manufatura ou impressão das peças e acompanhar os resultados do projeto de diversas formas.

Muitos designers se especializam. Dependendo dos objetivos do cliente, ele pode contratar uma diversa gama de profissionais, algumas vezes com perfis bastante diferentes. A atividade profissional algumas vezes chega mesmo a se confundir com outras áreas de atuação, como por exemplo as artes aplicadas, artes-plásticas, publicidade, marketing, a arquitetura, comunicação, engenharia, todo tipo de atividade produtiva. Especificar quais são essas relações pode ser muito difícil, e disputas entre as áreas são razoavelmente freqüentes.

Dentre as especializações do design mais comuns na atualidade se encontram:

Existem ainda atividades que se auto-identificam com a expressão “designer” mas sem qualquer relação com a atividade de projeto propriamente dita. Exemplos incluem hair designer (para cabeleireiro), cake designer (para confeiteiro), body designer (para tatuador).

Fonte:[Wikipédia]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s